quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Delasnieve Daspet

Pai
Delasnieve Daspet
.
Dentro de mim palavras borbulham,
corre célere pelas veias o sangue quente,
mil idéias passam pela mente,
para dizer os sentimentos profundos
que brotam em meu coração
feliz de ser privilegiada com um amor tão grande!
.
A vida transborda em meu caminhar,
nem sempre assumo aquilo que seja de tua vontade,
Embrenho-me nas florestas de minhas iniqüidades,
Mas Tu não me limitas a vida,
Mas criastes um mundo de tantas verdades.
Não me mandas a morte, mas a plenitude!
.
Não entendemos, ainda, que o viver é de cada um,
E buscamos mais, queremos mais,
Vida sem sofrimento, sem dificuldade,
Sem doenças, sem limitações...
Excelsos, sem humildade!
.
Não és nossa propriedade,
Mas amor imensurável!;
És Pai - de todas as cores, de todas as raças,
de todas as crenças, de todos os caminhos,
de todas as vidas, de todos os povos,
do rico e do pobre,
do alimentado e do faminto..
.
Pai nosso, Pai de cada dia,
Faz-nos livres, faz-nos sinceros, faz-nos perdão,
Faz-nos amor e faz-nos amar;
Na construção de um fraterno encontro,
Rogai por nós, ó Pai!
***

Um comentário:

  1. hei, delasnieve, vc gostaria de editar uma rodada do bar do escritor?

    []s

    ResponderExcluir