sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Paula Kalantã

Perdida
Paula Kalantã
.
Perambulo, sem rumo, sem destino
nos sentidos vários da vida.
Pois há em mim um vazio.
De repente, em minha frente
apareceu uma sombra,
vejo-a na luz da saudade,
é a sombra de você,
que vem em meus pensamentos
sombrios,
preencher esse vazio.

2 comentários:

  1. Mais um poema da grande Paula nos brindando
    É isso aí

    ResponderExcluir